brasil usa
Haras Santo Antonio da Bela Vista
Desde 1.991 criando Cavalos Árabe com identidade

Tudo começou no dia 1º de maio de 1.991, com a aquisição do reprodutor puro sangue árabe C-Cherez durante uma visita da Família Forte à Exposição Agropecuária de Itapetininga. Encantados com a sua beleza, que se apresentava montado, C-Cherez foi adquirido como cavalo de sela para o lazer dos finais de semana.

A beleza, o carisma e a imponência deste animal, galopando com o rabo erguido, além de sua docilidade, levaram a Família Forte a vender seus outros cavalos, de outras raças, e a se interessarem pela aquisição de mais animais da raça Árabe.

O que seria apenas um lazer para os finais de semana transformou-se em uma criação sólida e profissional, fazendo com que o Haras Santo Antonio da Bela Vista figurasse entre os melhores expositores do país. Logo nos primeiros anos, C-Cherez, treinado e montado por Manuel Balarini e por seus proprietários Rodrigo e Isabella Forte, sagrou-se nove vezes campeão nacional em diversas modalidades de performance (English e Pleasure Driving), o que incentivou seus proprietários a investir ainda mais no desenvolvimento de sua criação.

Apaixonados pelas classes de sela e por considerarem o Cavalo Árabe uma obra de arte viva, a Família Forte direcionou a sua criação para a produção de cavalos que pudessem aliar a máxima beleza e refinamento à mais correta conformação, força e movimentação. O intuito disso era a produção de animais que pudessem ser utilizados tanto nas categorias de conformação e beleza, quanto nas mais diversas e exigentes provas montadas.

Dispondo de animais de diversas linhagens e origens, com objetivo de se ter o máximo de opções em termos de "matéria-prima" disponível para a busca de seu Cavalo Árabe "ideal", o Haras Santo Antonio da Bela Vista mantém um plantel médio de cinqüenta animais puro sangue árabe, sendo 20 o número médio de matrizes.

A base do Haras foi desenvolvida através da aquisição de animais com pedigrees notáveis, nacionais, advindos de criações de renome como Haras Canapuan (de Cláudio Bardella), Haras Ilha da Chapada - Rach (da Família Saliba), Haras Serradinho - JP (de Jeremias de Paula Martins) e Haras Meia Lua (de Lenita Perroy), além de animais importados de países como Estados Unidos, Polônia, Dinamarca e Alemanha.

No momento, a criação do Haras Santo Antonio da Bela Vista encontra-se trabalhando as suas terceira e quarta gerações, sendo que os melhores resultados estão vindo através de matrizes e de reprodutores RFI, ou seja, de fêmeas e machos nascidos no Haras, o que significa um real avanço em termos de criação e desenvolvimento de linhagens. Essa filosofia que explica o slogan do Haras: “uma criação com identidade”.

As famílias do Haras Santo Antonio da Bela Vista foram desenvolvidas a partir de suas primeiras matrizes, as quais vêm produzindo até hoje com grande qualidade, porém, acima disso, comprovam que suas principais características e qualidades estão sendo passadas através de suas gerações. São elas as reconhecidas reprodutoras: *Lewitacja Rach (por Cognac), *Egzorta (por *Palas), Key of Flory JP (por *Naadir), C-Cynadra (por HFS-Phoenix), Marthie Shah D.D. (por *ZT Shah Ibn Nouvelle) e Nizina (por *Cobrah).

O atual plantel de matrizes do Haras Santo Antonio da Bela Vista é composto em 80% por fêmeas RFI, divididas basicamente em dois grupos: filhas de Shiraz El Jamaal e filhas de *Neschnij.

Adquirido em 1.996, aos seis meses de idade, Shiraz El Jamaal (*Ali Jamaal x *Satyna por *Etat) foi o responsável por um grande de salto de qualidade da criação RFI, principalmente pela produção muito homogênea de fêmeas. Shiraz El Jamaal, de criação do Haras Meia Lua, de Lenita Perroy, reuni as principais características do Cavalo Árabe "ideal", na opinião da Família Forte: um garanhão que alia a beleza da linhagem de *Ali Jamaal com a sólida e correta conformação advinda da linhagem polonesa de cavalos de corrida de sua mãe *Satyna. Shiraz El Jamaal transmitiu a suas filhas uma conformação extremamente correta, paletas muito inclinadas, forte movimentação, refinamento e muita beleza, incluindo belas cabeças, olhos grandes e orelhas muito bem desenhadas.

Outro passo fundamental na criação do Haras foi a compra do reprodutor puro russo *Neschnij (Neman x Neschi por Kilimandscharo) no ano de 2.001. Nascido na Alemanha e criado por Silvia Garde-Ehlert, *Neschnij foi campeão em exposições na Europa, Estados Unidos e Brasil. O mais especial é que *Neschnij é filho de uma das matrizes mais consagradas de todos os tempos da criação européia, a aristocrata Neschi, Campeã Nacional Alemã e mãe de vários campeões europeus (todos também com Neman), entre eles Nadir I, Campeão Mundial e reprodutor chefe do Sax Arabians, um dos criatórios de maior destaque na Europa. *Neschnij imprimiu em suas filhas muito refinamento, lindas cabeças, olhos enormes, pescoços finos e arqueados (um grande diferencial de *Neschnij dentre os russos), muita movimentação e atitude. Essas qualidades, advindas dos cavalos de linhagem russa, são muito valorizadas e procuradas ao redor do Mundo pelos melhores criadores.

Atualmente, o Haras Santo Antonio da Bela Vista aposta todas as suas fichas em dois jovens garanhões de sua própria criação, tidos como os melhores machos nascidos no Haras desde a sua fundação: RFI Maktub (Altam Yshmayl x RFI Cyntilation por Ninjah El Jamaal) e RFI Agadir Al Neschi (*Neschnij x Ali Kalima por *Imperial Alishihab). Ambos reprodutores possuem um refinamento fora do comum e estão atualmente entre os mais bonitos machos da criação brasileira. Machos com esse tipo de refinamento são o objeto de desejo dos melhores criadores atualmente. Além de estarem sendo utilizados em quase cem por cento das matrizes do Haras, RFI Maktub e RFI Agadir Al Neschi estão cobrindo éguas de alta qualidade de outros renomados criadores do Brasil e de outros países, e seus primeiros produtos já superam as expectativas. Um dos primeiros filhos de RFI Maktub, RFI Farid (x RFI Fayara El Shiraz) já é conhecido mundialmente, tendo sido Campeão Nacional no Brasil, na Itália e no Oriente Médio, e recentemente sagrou-se Campeão Bronze Potro na Copa das Nações em Aachen – Alemanha e no Campeonato Mundial de Paris, ambos em 2010.

Após quase duas décadas de criação, o Haras Santo Antonio da Bela Vista orgulha-se em ter desenvolvido uma criação de alto padrão, reconhecida por criadores brasileiros e estrangeiros. Segundo a Família Forte ainda há muito que se fazer, pois não é fácil desenvolver uma raça que já possui mais de três mil anos de criação. Mas é justamente isso, aliado à responsabilidade e à paixão, que motivam a criação RFI a se dedicar cada vez mais.

Nosso maior orgulho é ter atualmente um plantel de matrizes e reprodutores de nível internacional com a marca RFI, e o número de novos proprietários e criadores que ingressam na raça Árabe através do Haras Santo Antonio da Bela Vista. “Isso é a maior prova de confiança que poderíamos ter na nossa criação”, comenta Rodrigo Forte.

     
Haras Santo Antonio da Bela Vista - RFI Cavalos Árabe
Itapetininga – São Paulo – Brasil
Copyright 2010 - Todos os direitos reservados
Faça parte da nossa lista!